9 de jun de 2012
Tem um pedaço de mim
Que meio desatinado, confuso e cansado
Às loucuras, desama

Não sei se por desatino
Ou um turvo destino
Escolher, não me cabe

Distingo para além do verso
Mas triste, confesso
Não tenho tal gana

Quantos ainda esperam
No forte, no belo
Eu só tenho a cama

E sem saber do juízo
Quer fraco, amigo
Não me olham na cara

Se franco em qualquer franqueza
Amor em qualquer pobreza
Sou rico em afagos

Nem que me digam adeus
Veja, eu tenho os meus
Que me dão o necessário

Não venhas desmerecer
O que tanto eu prezo
No que eu acredito

Mas eu precisei da queda
Agora eu nem sei direito
Aguardo calado

0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos