13 de jun de 2012
Os retalhos vou juntando
Pra compor a melodia
Meus pedaços, meus enganos
Vão tecendo a rouparia

Uma noite de descanso
Para o pai custou-lhe a culpa
A serpente e seu plano
Enganar é sua conduta

Houve um tempo sobre-humano
Em que o mal não existia
Quer de peles, quer de pano
O corpo não se vestia

Pode-se mudar o rumo
Será erro enganar-se?
Se não sei compor juízos
Deus cumpriu a sua parte?

Estará a liberdade
Nas mãos do onisciente?
Quem decidirá no jogo
Será d'ele o encargo
Quando sei que vou pro ralo
Onde não cresce a semente?
Que invade o pensamento
Mágoa, dor, esquecimento
Bem à cruz ou mal à besta

Será o pai, será o filho
Quem badalará o sino
Ao raiar da hora sexta?









0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos