4 de ago de 2012
Glórias!
À supremacia do dom
Que superou a graça!

Onde andará a culpa esta manhã?

A maçã foi traída 
E no nominalismo da ideia
Imprimiu-se ao fruto personalidade 
E vulnerabilidade ao homem

Caio. 
Não sei como levantar-me quando a graça resolve ir.
Me sobra o dom

E na elegia da poesia
Vou expressando o perdão
A vontade, a escolha

Vou procurando chão quando a dor se esquece de partir
Vou encontrando sentido na palavra

Na maior parte do tempo
Vou administrando a loucura cotidiana
Que nem à noite descansa

E como prerrogativa, me sobra o dom
Que perambula pela testa suada
Pela incoerência dos versos
Pela inconsistência do espírito
Energia do desejo

A liberdade humana se encontra no espírito
Não na condição de pureza
E sim, no tempero da mácula
Escondido no dom 

0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos