20 de set de 2012
No lugar da discórdia, a indiferença
No lugar da tristeza, a decisão
Antes ser o que é, não o que pensam
Faça tudo e não traia o coração

À moral cabe a desconfiança
Liberdade ao deus da religião
Quando sobra desejo, ansiedade
Onde falta a vontade, divisão

Tenho pouco e não me falta nada

Migalhas espalhadas pelo chão
A palavra é a força da espada
Em seus gumes a fé é aceitação

Não entendo o incognoscível

Mereço bem mais que a redenção
Cada escolha humana, perecível
Liberdade à cabeça e ao coração

Vou fazer a vontade alheia

Pra sentir-me aceito como irmão
Feito droga que ilude, que estonteia
Na verdade, quem divide o próprio pão?

E migalhas caem fartas no chão morno 

Águas descem cristalinas, mas impuras
Entre o quente e o frio, firme escolho
Ir além da sensação que me censura

0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos