11 de nov de 2013
Tem uma medida a dar a cada um
Suntuosos são seus pensamentos
Deixa a própria sorte o acaso
Para despistar o seu propósito
Somatize antigos poemas
E verás a face escondida
De alguém tão frio e delinquente
Amarrado aos pés da sua alma
Sua culpa é quase inexistente
Os seus planos mudam com frieza
Engana até a própria droga
Não conhece o arrependimento
O poder subiu-lhe à cabeça
Tira da sua frente quem o afronta
Tem uma doçura tão carente
Sua escolha, até hoje não sabe
Preste atenção, é que ele mente
Abraça mordendo-lhe as costas
Torce para o aborrecimento
Finge que sorri, mas ele chora


0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos