18 de nov de 2013
Coração se abriu como não se houvesse amanhã
E na margem do rio o amor pela mata fugiu
Onde moram os bichos, as aves, foi se esconder
Lhe medir nessa hora, melhor deixar para  trás
Que na beira pra ele é melhor, pois não sabe nadar
Chega perto da água mas é só para se lavar
Não arrisca com tudo mesmo quando sofre o penar
Olha só coração,
A razão tem momentos de plena lucidez
Na verdade o tempo serviu
Para vermos depois
E depois,
Não, não há
É de Deus
É do mar
Não são meus
A amar
A cantar
A viver



0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos