15 de dez de 2015
não há quem nos entenda
nem mesmo quem escute
o grito das meninas
o choro do ladrão
me limitar à droga
fazendo mau seu uso
buscando um sentido
uma religião
nada é mesmo tudo
quando eu não sei direito
o que me mata aos poucos
alimentando a dor
finjo olhar lá fora
me escondendo dentro
pra suportar a moda
e resistir sozinho
me dê uma resposta
um sentimento fundo
uma saudade própria
um coração, um rumo
a sorte tem seu preço
a morte, um endereço
deus não me pediu nada
eu é que aceito tudo
você diz que me ama
depois se desconversa
julga os meus excessos
me caso à solidão
então, de volta à reza
e novamente ao ventre
romper a ida, a sorte
trincar, quebrar a lente
o mundo novo chora
a vida nova enche
o saco da demora
a paciência mente
deixa de ser agora
passado é vigente
futuro, uma memória
falido, indulgente

0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos