23 de ago de 2012
Quando à noite eu me entorpeço
Sonhos vem, amadurecem
Na manhã eu enlouqueço
Sonhos vão, obscurecem

A mente rasa rasga a manta
E a canção requer em falso a nota grave
E desafina enquanto o aplauso
Esconde o erro, sorri sem graça
Então a fé esconde o brilho
Só para não ser questionada na velhice

Na juventude o meu sonho se inquieta
E na infância os pesadelos eram magia
Da inocência tão comum aos animais
Hoje em reais tons de razão, embora eu finja


0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos