7 de set de 2012

Como favo de mel entre teus cachos
A uva mais genuína dos meus galhos
Entreaberto, os olhos erram o alvo
E miram justo tuas mãos em tato ao rosto

Deixo-me sem rumo que me leve ao teu espaço
Ao teu lado de dentro, ao teu colo
E com foro íntimo, degrau a degrau ouço teu ar
A porta da frente parece fechada, encostada
Daqui te vejo passar enquanto ouço
Teu passeado que se aproxima ao meu soluço

Espero atento tua imagem em meu espelho
Entorpecido frente ao cálice de vinho
Esqueço o mundo e gravo a tua passagem
Quero que o brilho intensifique meus neurônios
E da pele ingênua nasça a flor do meu desejo

0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos