14 de set de 2012
No acalanto de teu cheiro encontro abrigo
E os poros áureos de um susto, um arrepio
Como o cerrado em tarde inóspita de agosto
Ou caatinga que já esqueceu o que é brisa
O teu calor é como sombra a céu aberto
E o teu cheiro adentra calmo em minhas narinas
E de repente o fogo acende o corpo insano
Espalha o vento a chama rumo à cidade
Na confusão, a pele esconde-se no ato
E não resiste às labaredas o mato seco

0 comentários:

Seguidores

Acessos

Marcio Lima. Tecnologia do Blogger.

+ Vistos:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem escreve...:

Minha foto

Olá! Sou Marcio Lima, filósofo e poeta. Trabalho como professor de Sociologia nas redes públicas de Goiás e do DF. 

Em meus textos se encontram várias facetas de mim mesmo, do mundo que me rodeia, do outro e da experiência da transcendência que transforma. 

Teça seu comentário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Concursos